Fluidoterapia, Passes e 
Água Fluidificada
Vídeo de introdução ao 
trabalho de passes
Curso completo:
Fluidoterapia Espírita, Passes 
e Água Fluidificada

Sugestões Práticas Para os Trabalhos de Passes
Quando aplicar passes e demais métodos da terapêutica espiritual, fugir à indagação sobre resultados e jamais temer a exaustão das forças magnéticas.

Na aplicação de passes não se faz precisa a gesticulação violenta, a respiração ofegante ou bocejo de contínuo. A transmissão do passe dispensa qualquer recurso espetacular.

Não é necessária a utilização de mediunidade ostensiva durante a aplicação do passe.

O toque direto no receptor do passe é desnecessário.

Não divulgar o passe como terapia obrigatória aos frequentadores da casa espírita evitando de tê-lo como ritual.

Prestar atenção na própria higiene corporal ao se prestar a aplicação do passe.

Não prometer cura ou melhora a nenhum frequentador da casa espírita ou receptor do passe.

Evitar a prática do passe quando não estiver em bem estar físico ou espiritual.

Preparar-se de antemão, de preferência pelo menos durante o decorrer do dia em que estará aplicando o passe.

Não trocar idéias após o trabalho de passes com os receptores. Quaisquer percepções durante esse trabalho podem ser para a coordenadoria dos trabalhos de atendimento fraterno para avaliação.

Trabalhar para que o vínculo passista-receptor não se crie, evitando que receptores só queiram receber passes de certos passistas.

Convidar o receptor que entrar em transe mediúnico durante a sessão de passes para que volte a si. Evitar nesse momento conversar com o espírito comunicante para que não se inicie aí um trabalho de doutrinação e desobsessão inoportunas.

Evitar as visitas para aplicação de passes fora da casa espírita, a não ser em casos de impossibilidade de locomoção do paciente. Nesses casos fazer a visita com pelo menos mais um trabalhador passista para ter o apôio vibracional necessário nesse trabalho socorrista.

Proibir ruídos quaisquer, baforadas de fumo, vapores alcoólicos, tanto quanto ajuntamento de gente ou a presença de pessoas irreverentes e sarcásticas nos recintos para assistência e tratamento espiritual.

Interditar a presença de enfermos portadores de moléstias contagiosas nas sessões de assistência em grupo, situando-os em regime de separação para o socorro previsto. A fé não exclui a previdência.

Não se preocupar com a exaustão magnética dada a aplicação de muitos passes seguidos sendo que as energias sendo doadas são renovadas pelos mentores espirituais assistindo o trabalho.

Adicionar o uso da água fluidificada como apoio enriquecedor do trabalho de passe. 



Apostilas e PPTs de 
Cursos de Passes
Spiritist Society of Palm Beach
Obras Para Consulta Sobre os Trabalhos 
de Passe
1.Mecanismos da Mediunidade (André Luiz) – Maior eficácia tem o passe quanto mais intensa a adesão do paciente (p. 148). Menores resultados se obtêm nos doentes adultos jungidos à inconsciência temporária (pp. 148 e 149).

2.Os Mensageiros (André Luiz) – No Campo da Paz, a ala dos Espíritos que dormiam somava 1.980 entidades. Destes, 400 foram selecionados para receber tratamento, mas apenas 2/3 recebiam passes, porque só eles se revelaram aptos a recebê-los (p. 123). 

3.Nas Fronteiras da Loucura (Manoel Philomeno de Miranda) – Oração, passes, água magnetizada e doutrinação compõem o tratamento do alcoolismo, da toxicomania, da sexolatria e dos vícios em geral (pp. 75 e 76). Na terapia do passe, a disposição do paciente exerce papel relevante para a obtenção dos resultados (pp. 234 e 235).

4.Entre a Terra e o Céu (André Luiz) – Mário Silva, acometido pela consciência culpada, fruto dos erros cometidos por ocasião da Guerra do Paraguai, não podia ser socorrido com passes. Segundo Clarêncio, ele precisava ser atingido na mente. Necessitava de idéias renovadoras e somente Antonina poderia ajudá-lo (pp. 224 a 226). Naquele dia, mesmo socorrido pelos passes, acordou agoniado e trêmulo (pp. 120 a 122). 

5.Passe e Passista (Roque Jacintho) – Capítulos 16, 19, 28 e 32, pp. 73, 83, 118 e 133.

6.Obsessão, o passe, a doutrinação (J. Herculano Pires) – Págs. 45 e 48.

7.Conduta Espírita (André Luiz) – Capítulo 28, pp. 102 a 104.

8.O Consolador (Emmanuel) – Questões 99, 103 e 104, pp. 68, 69 e 70.

9.Diretrizes de Segurança (Divaldo Franco e Raul Teixeira) – Capítulo VII, pp. 67, 70 e 71.

10.Sessões Públicas (Roque Jacintho) – Pág. 18.

11.Diálogo com dirigentes e trabalhadores espíritas (Divaldo Franco) – Págs. 61 e 66.

12.Desobsessão (André Luiz) – Capítulos 26, 52 e 68, pp. 63, 115 e147.

13. Fluidoterapia, Passes e Água Fluidificada - Editora Espiritizar